Janeiro Branco, vamos cuidar das nossas emoções

Saúde
Tipografia

Neste mês dedicado à saúde mental, a CASSI preparou dicas para identificar sinais de adoecimento emocional relacionado a este período de pandemia e estratégias possíveis para um enfrentamento saudável, prevenindo o sofrimento que este tempo pode gerar

 

JANBCO TOPO

Dificilmente alguma pessoa no mundo deixou de experimentar algum sofrimento emocional durante a pandemia. Seja pelo isolamento social, por medo da Covid-19 ou pelo adoecimento e perda de pessoas queridas, todos estão sendo impactados de alguma forma.

E é natural! Porém, é possível que algumas crianças, adolescentes, adultos ou idosos estejam mais frágeis emocionalmente e necessitem de um cuidado maior.

Neste mês dedicado à saúde mental, a CASSI preparou dicas para identificar sinais de adoecimento emocional relacionado a este período de pandemia e estratégias possíveis para um enfrentamento saudável, prevenindo o sofrimento que este tempo pode gerar.

Como o impacto é diferente em cada fase da vida, psicólogos de três CliniCASSI prepararam orientações para cada uma delas, que serão divulgadas ao longo do mês.

Confira abaixo e saiba mais sobre cuidados com adultos ativos, crianças e adolescentes e aguarde, em breve, dicas para aposentados! 

 


 Na pandemia, adultos também precisam de lazer!

A nova forma de trabalhar imposta pela pandemia, em home office ou presencialmente, mas com cuidados para evitar a contaminação, ou até a perda de trabalho e redução de renda familiar, em consequência da Covid-19, são os principais fatores de risco para o adoecimento emocional na população adulta ativa.

Somado a isso, o isolamento e o distanciamento social e adoecimento e perda de familiares e amigos para o coronavírus. Essas situações geram sofrimento e podem evidenciar sintomas de ansiedade e alterações de humor. Veja alguns sinais de alerta:

 

  • Falta de ar, taquicardia, tensão muscular, dor no peito e tremores.
  • Alteração de humor (desmotivação, desesperança, melancolia, tristeza, sentimento de vazio).
  • Apreensão, angústia, pensamento acelerado e desorganizado, medo, inquietação, desgaste e esgotamento
  • Perda ou ganho de apetite.
  • Alteração na qualidade do sono (insônia, sono não restaurador, diminuição da quantidade de horas e dificuldade em iniciar o sono).

Caso perceba algum destes sinais em si mesmo ou em familiares, procure ou indique atendimento com profissionais de saúde para orientações.

Consulta com psicólogo ajuda a identificar os fatores que estão gerando adoecimento emocional e a encontrar formas mais saudáveis de lidar com os sintomas.

        Fique atento!

 

 


Como adultos ativos podem prevenir adoecimento emocional

 

  • Mantenha rotinas diárias com hábitos saudáveis que promovam bem-estar, ocupações, distrações e melhoria na qualidade de sono.
  • Faça atividades físicas adequadas às formas de prevenção da Covid 19 (ambientes abertos, com uso de máscara, ou dentro da própria casa, se possível).
  • Tenha alimentação saudável.
  • Pratique meditação e exercícios de respiração, leituras, assista filmes/séries ou busque outras atividades de lazer prazerosas, como tocar instrumentos, dançar.
  • Comunique-se com amigos e familiares, mesmo estando fisicamente distantes, usando as tecnologias disponíveis.
  • Crie momentos de lazer (jogos e atividades) em conjunto com a família, em casa ou em ambiente externo, de acordo com as orientações de prevenção da Covid 19.

JANBCO FINAL



Para crianças e adolescentes, rotina e atividades diversificadas!

O isolamento tem sido um desafio para pais e mães, preocupados com características comportamentais e psicológicas de crianças e adolescentes decorrentes da pandemia. Esta circunstância requer muita vigilância e criatividade por parte dos pais.

A primeira infância (de 0 a 6 anos) é fase mais importante para o desenvolvimento humano: a criança está descobrindo o mundo, as próprias emoções e capacidades.

Nesta fase, se aprende muito por meio da observação e da exploração do ambiente e é ainda mais necessário que o responsável fique atento à sua própria saúde emocional, que certamente influenciará no comportamento da criança. Além disso, deve prestar atenção às reações da criança e ensiná-la a lidar com suas emoções.

Em uma casa onde o ambiente é sempre o mesmo, por exemplo, a criança pode se sentir frustrada ao ser impedida de explorar espaços que não conseguia ou eram proibidos sem que isso gerasse incômodo antes da pandemia.

Nessa situação, o responsável deve se manter calmo e mostrar que aquilo pode colocá-la em risco. A criança precisa de novos desafios e isso pode ser proporcionado com ideias simples, como brincar entrando em caixa de papelão ou escondendo objetos dentro dela.


Como lidar com crianças maiores e adolescentes em período escolar?

Afastados dos amigos, tendo de estudar de outra forma, sem a presença do professor dos colegas, usando computador ou celular, crianças e adolescentes podem passar a viver uma sensação de incerteza e ansiedade. Aulas online, provas à distância, tarefas domésticas exigem tempo, dedicação e adaptação das crianças, mas também de um adulto que as auxilie e oriente.

Veja sinais frequentes de que este público está sofrendo:

 

  • Dificuldade em manter a concentração.
  • Aumento de irritabilidade ou alteração no humor.
  • Presença de medos que não existiam.
  • Inquietação motora.
  • Sensação de tédio.
  • Sensação de solidão.
  • Cansaço constante.
  • Falta de energia.
  • Aparecimento de dores sem explicação aparente.
  • Apatia.
  • Alterações no padrão do sono (dormindo horas a mais ou a menos).
  • Alterações no apetite e consequente ganho ou perda de peso.

 

alternative

Algum destes sinais chama a atenção na criança ou no jovem? Procure uma CliniCASSI ou Unidade CASSI de referência e peça o suporte para enfrentar o problema!


Como prevenir ou enfrentar adoecimento emocional de crianças e adolescente durante a pandemia:

  • Manter a rotina de acordar, vestir-se, alimentar-se, adormecer e outras atividades cotidianas. Ter um padrão auxilia a reservar energia para outras atividades.
  • Incluir momentos de lazer na rotina diária: brincadeiras, leituras, desenhos, pinturas ou outras artes e de descanso, buscando diversidade.
  • A família pode combinar diferentes atividades: em um dia desenvolver um circuito de atividade física, no próximo, jogo em família, em outro, passeio de carro e assim por diante.
  • Realizar videochamada para manter contato e estreitar as relações afetivas com familiares, amigos de escola e de outros grupos sociais.
  • Monitorar o tempo de tela (TV, smartphone, tablet e computadores), com conteúdo de qualidade. Lembrar que a exposição intensa é prejudicial.
  • Envolver as crianças e adolescentes em tarefas domésticas, que podem ser divididas com os pais respeitando as limitações de cada um. Isso auxilia a desenvolver independência.
  • Abrir espaço para que, no ambiente familiar, as crianças e adolescentes compartilhem o que estão pensando e sentindo e acolher suas angústias. Mesmo sem ter todas as respostas, estar presente e disponível para ouvi-los é algo que os adultos podem oferecer.

 

JANBCO FINAL 2


Fonte:  CASSI

LOGO ASSINATURA

.....................